16/06/11

O mal dos sovacos e as axilas da Helena Matos

No Público de hoje Helena Matos insiste em dizer que há um problema de higiene nas acampadas. Como todos sabemos é um tema profundamente interessante inventariado pela Irene Pimentel quando se queixou do cheiro que lhe passou pelas vias quando passou por nós no Rossio. Eu tentei simpaticamente chamar a atenção de ambas para a trapalhada em que se metiam ao irem por tal argumentação. Fi-lo aqui. Mas vozes de burro não chegam ao céu. Na verdade a escala higienista da Helena Matos dá mostras de expansão. Diz agora que ao pé das acampadas as manifestações da CGTP são um primor organizacional, intelectual e, lá está, higiénico. Ou seja, o suor do proletariado tresanda mas o suor do lumpen tresanda ainda mais.
Aqui chegados, acho, muito sinceramente, que o único espaço que sobra é para o insulto. A via intelectual não está autorizada, porque a esse respeito somos fraquitos. Insultar Helena Matos. Dizer que cheira mal da boca. Que não lava os sovacos. Que sovacos rima com Matos. Já para não falar do cholé do pé. Aceitam-se contributos sobre as competências odoríferas da Helena Matos na caixa de comentários.



publicado também nos unipoppers

5 comentários:

samuel disse...

Também rima com gatos... mortos há uma semana claro. "Derivado" ao cheiro...

Vera disse...

Ó Zé, não te zangues comigo, mas não resisto a colar aqui este post do maradona:

«Vão mas é descansar

Un grupo de 'indignados' concentrados alrededor del parque de la Ciutadella de Barcelona han zarandeado al diputado ciego de CiU, Josep Maria Llop, a quien incluso han tratado de arrebatarle el perro guía, para impedirle llegar al Parlament.
Aqui, via, por muito que isso me custe, a Helena Matos. Mas analise-se a foto seguinte: o cordão de fotógrafos, câmaras-homem e jornalistas em fundo é mais denso que os dos "indignados":
Repare-se que mal chega a mil o número de pessoas que "han rodeado el parque de la Ciutadella y zarandeado y pintado a los diputados". Que fazer quando mil gajos de 20 anos tentam obstruir o funcionamento de uma instituição sufragada por alguns milhões? Serão estes mil os legítimos representantes dos outros milhões que não votaram? Enquanto os "indignados" de uma nação grande como a Catalunha não conseguirem reunir, para as suas missas e eucaristias "radicais", mais que aqueles que festejaram (e para isso pagaram!) na Tapadinha à subida do Atlético à Liga Orangina, tenho muita pena mas a resposta a esta modalidade de aulas de aeróbica colectiva, em que se roubam cães a cegos (há que admitir que isto tem a sua piada), em que se grita aos ouvidos de deputados (o chapadão que levavam se eu tivesse uma personalidade completamente diferente!), em que se encharca os representantes da burguesia com tinta que só suja (não é violência nenhuma ensopar um deputado burguês com tinta, pois claro que não, até porque deve ser a empregada do povo que vai limpar o resultado desta imaginativa intervenção directa), tenho muita pena, dizia, mas só conto com vocês, meus queridos:
Povo que, mesmo desiludido e desesperado, corajosamente vota: uni-vos à volta da tua polícia!»

Zé Neves disse...

não me zango, vera, não me zango. gosto de ler o rapaz. de qualquer dos modos, acho que isso do cão foi obra dos tipos do pan...

Dédé disse...

Caraças, esqueci-me da Helena Matos:

O TIO BELMIRO EM ACAMPADA NA AVENIDA DA LIBERDADE E onde está a Câncio, quando mais precisamos dela?

Nuno Resende disse...

A única coisa que cheira mal é a insistência.