06/02/17

Austeridade. O discurso rançoso da OCDE

A OCDE está muito preocupada com a permanência de "mecanismos que dão vantagens a grupos específicos" . J

Está, neste caso, a  OCDE muito preocupada com a desigualdade entre os futuros pensionistas e os que já auferem as suas pensões. Mas a desigualdade para a OCDE tem um significado muito específico, diferente do da maioria das pessoas.
O que a OCDE defende é que as pensões actuais sejam dimínuidas. Acabar com as "vantagens" significa retirar mais a todos os pensionistas. Que as pensões futuras sejam mais justas e menos afectadas pelos cortes introduzidos depois de 2006 - não foi apenas o Passos Coelho, nem apenas a troika - não lhes passa pela cabeça. Por exemplo reduzindo o factor -dito -de sustentabilidade e os cortes brutais para as reformas antecipada, como este governo chegou a admitir mas que rapidamente esqueceu "austeridade-oblige".

A OCDE não presta atenção às rendas de monopólios,  às PP, aos juros usurários  e aos outros gastos excessivos, que, tal como no período da Troika, continuam a salvo.

1 comentários:

Victor Martins disse...

Mas alguém espera outra coisa do artista Angel Gurria?